Prejurados do Prêmio Roche 2021 adiantam a avaliação da primeira etapa de julgamento dos trabalhos

Pré-jurados Roche Prize 2021.

Os prejurados da nona edição do Prêmio Roche farão a revisão dos trabalhos inscritos, seguindo os critérios de avaliação estabelecidos, para selecionar o melhor do jornalismo de saúde na América Latina. Neste ano, a premiação recebeu 611 inscrições, entre 27 de janeiro e 9 de junho, nas categorias Jornalismo Escrito, Jornalismo Audiovisual e Cobertura Diária.

A equipe de prejurados que atualmente tem a tarefa de avaliar e selecionar os autores que vão seguir para a etapa final do Prêmio Roche 2021 é formada por 12 jornalistas da América Latina. Todos têm longa trajetória e reconhecimento profissional.

Antes disso, a Fundação Gabo (responsável pela Secretaria Técnica da premiação) verificou a validade das mais de 600 inscrições, auferindo se elas se enquadravam nas regras do Prêmio. Depois da verificação, 262 trabalhos seguiram para serem avaliados na categoria Jornalismo Escrito, 98 em Jornalismo Audiovisual e 84 em Cobertura Diária pelo comitê de pré-seleção ou de prejurados.

Conheça o perfil dos prejurados:

José Carlos Alvarado

Jornalista e produtor, de Guayaquil, Equador. Em 2016 começou a trabalhar na equipe de produção de Visión 360, programa de jornalismo de grandes reportagens no canal Ecuavisa.

Ganhou, junto com a equipe do programa, o Prêmio Roche 2019 pelo trabalho audiovisual “Enemigo silencioso”, que abordou a incidência de câncer de colo de útero no Equador. Atualmente é repórter do noticiário diário de Ecuavisa e cobre a pandemia de COVID-19 em seu país.

Andrea Dip

Diretora, editora e repórter da Agência Pública de Jornalismo Investigativo no Brasil. Trabalha como jornalista enfocada em Direitos Humanos desde 2001 e já recebeu 13 prêmios de jornalismo até o momento. Em 2018 publicou seu primeiro livro “Em nome de quem? A bancada evangélica e seu projeto de poder”.

Escreve semanalmente coluna no portal de notícias brasileiro UOL e investiga temas relacionados a gênero, política e o avanço do fundamentalismo religioso na América Latina. É membro fundadora da Rede Unidas entre Mulheres da América Latina, Caribe e Alemanha, e editora da Cosecha Roja 2018 em Narrativa, Gênero, Violência e Juventude.

Patricia Marcano

Jornalista investigativa venezuelana, coordenadora da redação de Armando.info. Desde 2005 trabalhou em diferentes meios de comunicação, entre eles El Nacional, Últimas Noticias e La Razón, especializando-se em saúde pública. Em 2017 entrou para a equipe de Armando.info, meio digital venezuelano de jornalismo investigativo.

Fez várias reportagens especiais como coautora premiadas, como o Prêmio Latinoamericano de Periodismo de Investigación (Colpín) e o Prêmio Nacional de Periodismo de Investigación de IPYS Venezuela, em 2018 e 2019. Em 2020 recebeu o Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde por “La mala leche de los CLAP”, investigação na qual também participou como coautora. É finalista do prêmio Pulitzer 2021 com uma das investigações realizadas para a série transnacional FincEN Files, do Consórcio Internacional para Jornalistas Investigativos (ICIJ) e Buzzfeed News.

Gabriel Pecot

Jornalista visual e editor multimídia argentino. Começou a careira no jornal Público (Espanha) e na agência Associated Press, publicando suas imagens no The New York Times, The Guardian, Le Monde e Der Spiegel. Fez reportagens e dirigiu documentários na Europa, América Latina, África e Ásia para meios como TIME, Channel 4, GEO, El País, Univisión, e AJ+, e organizações como ODI e Barça Foundation.

Foi chefe da seção de documentários do jornal El Clarín e atualmente atua como produtor executivo na startup europeia de meios So.fa.dog. Seu trabalho conquistou em 2011 o Prêmio Luis Valtueña de Fotografia Humanitária e em 2014 o prêmio Desalambre de jornalismo de vídeo, ambos na Espanha. Seus documentários foram exibidos em festivais do Reino Unido, Itália, Alemanha, Grécia, Espanha, Brasil e México.

Olívia Meireles

Jornalista brasileira, formada pela UniCeub em 2009 e especializada em edição e produção de reportagens multimídia. Editora em Metrópoles por seis anos, onde coordenou equipes vencedoras de 20 prêmios internacionais e 35 nacionais. Venceu o Prêmio Roche 2020 com o projeto “Elas por Elas”. Em 2018 foi nomeada ao Prêmio Gabo na categoria Inovação pela reportagem “As Faces das Chacinas no Cárcere”.

Trabalhou por cinco anos como repórter no Correio Braziliense e dois anos como colunista na Veja Brasília.

Aleida Rueda

Jornalista mexicana especializada em ciência e saúde, com 16 anos de experiencia como colaboradora em meios digitais, impressos, rádio e televisão. Venceu diversos prêmios nacionais e internacionais por suas reportagens, entre eles o Prêmio Nacional Divulgación Periodística en Sustentabilidad, em 2013 e 2016, e o Prêmio 2021 para a Melhor Reportagem Sobre COVID-19 na categoria Ciência, do International Center for Journalists (ICFJ).

Atualmente é editora e colaborada no portal internacional SciDev.Net e em Salud con Lupa. É a atual presidenta da Red Mexicana de Periodistas de Ciencia.

Martha Amor

Comunicadora social e jornalista colombiana, mestra em Desenvolvimento e Cultura e especialista em Gestão Pública. Foi colunista de opinião em diversos meios, professora universitária e fundadora da primeira emissora universitária de Cartagena, UdeC Radio, que dirigiu entre 2008 e 2015. Vencedora de vários prêmios de jornalismo, nacionais e internacionais, tanto como radialista como colunista de opinião.

Destaca-se por sua sensibilidade para a denúncia e criatividade para narrar trabalhos de investigação jornalística. Desde 2015 é chefe de imprensa do Grupo Puerto de Cartagena, onde lidera as relações entre os meios de comunicação e as publicações corporativas.

Carolina Arteta

Jornalista colombiana formada pela Pontificia Universidad Católica Argentina (UCA) de Buenos Aires. Trabalha há dois anos no laboratório de jornalismo da Fundación para la Libertad de Prensa (FLIP). Colaborou em diversos meios e projetos focados em fortalecer o jornalismo local e comunitário na Colômbia.

Foi editora geral da revista Semana Rural e do Projeto Migración Venezuela, ambos do Grupo Semana. Liderou a criação da unidade de dados do jornal El Heraldo, de Barranquilla, e colaborou com outros meios como Chequeado, da Argentina. Participou de eventos internacionais sobre jornalismo de dados e jornalismo digital, assim como de atividade organizadas pela Fundação Gabo.

Leandro Zanoni

Jornalista argentino, autor de 5 livros, sendo o mais recente ‘Las máquinas no pueden soñar’ (2019). Consultor de estratégias de comunicação e palestrante. Trabalha como freelancer para meios como revista VIVA (Clarín), Planeta Urbano, Reporte Publicidad, entre outros, e tem um podcast semanal de tecnologia na Radio Berlín chamado Beta. Em 2007 fundou Tercerclick, a primeira agência de social media da Argentina.

É sócio na agência The Studio e tem uma newsletter chamada Teik Away. Escreveu coluna sobre tecnologia, negócios, publicidade e novos meios no jornal El Cronista por 10 anos. Foi editor geral de Forbes Argentina entre 2018 e 2019.

Carlos Manuel Álvarez

Jornalista formado pela Universidad de La Habana. Em 2016 cofundou a revista literária “El Estornudo”. Publicou trabalhos literários de opinião para The New York Times, BBC, El País, The Washington Post e Al Jazeera, e suas histórias foram publicadas em meios como Gatopardo e El Malpensante. Em 2017 publicou “La tribu, retratos de Cuba”, uma coleção de peças jornalísticas relacionadas a seu país natal.

Em 2013 venceu o Premio Calendario por sua coleção de relatos “La tarde de los sucesos definitivos”. Em 2016 foi considerado um dos 20 escritores latinoamericanos de maior destaque na Feira Internacional do Livro de Guadajara. Em novembro de 2020 participou da greve de fome iniciada pelo Movimiento San Isidro para exigir a liberação do artista e ativista político Denis Solís. Em 14 de dezembro de 2020 foi detido por agentes da segurança do estado (G-2) cubano vestidos como civis e foi liberado seis horas mais tarde. Em 2021 foi selecionado pela revista Granta como um dos 25 melhores escritores jovens em espanhol.

Néstor Oliveros Machado

Produtor de cinema e televisão, com especialização em gerência e gestão cultural. Trabalhou em canais públicos e privados nacionais e internacionais como criador, diretor, roteirista, montador e produtor geral de séries. Também trabalhou como professor em universidades públicas e privadas. Desde 2000 desenhou, escreveu e dirigiu para o canal Señal Colombia mais de 12 documentários. Criador e diretor da série “Los puros criollos”.

Foi finalista do Prêmio Gabo 2019 na categoria imagem por seu trabalho “La fiesta del fútbol”. Foi nomeado como um dos 10 melhores líderes da Colômbia pela Revista Semana, entre outros reconhecimentos.

Florencia Ballarino

Jornalista científica na Argentina e editora de Chequeado. Trabalhou como redatora e editora da seção de Ciência do jornal Perfil por 13 anos. Foi colunista televisiva dos programas “Reperfilar” e “Todo tiene um porqué”, professora de Jornalismo Científico/Perfil na Fundação Favaloro e foi produtora de rádio. É vicepresidenta da Red Argentina de Periodismo Científico e membro da Comissão Diretiva da Sociedade Argentina de Vacina e Epidemiologia.

Em 2010 ganhou o VI Prêmio Latinoamericano de Jornalismo em Saúde, organizado pela Red Salud, a Organização Panamericana da Saúde e a Fundação Nuevo Periodismo Iberoamericano. Em 2015 ganhou o Prêmio Boehringer Ingelheim de Inovação de Jornalismo Científico e em 2017 o Prêmio da Fundação Isalud. Em 2020 recebeu o Prêmio Universidad de Buenos Aires (UBA) pela divulgação de conteúdos educativos em meios jornalísticos nacionais por sua cobertura da pandemia da COVID-19.

O apoio médico

O Prêmio Roche conta em cada edição com um assessor médico que participa tanto na etapa dos prejurados como na avaliação final dos jurados da premiação.

No seu acompanhamento do processo de seleção e avaliação, este profissional garante o rigor científico e a abordagem adequada dos temas em cada um dos trabalhos que chegam a essas etapas.

Conheça o perfil deste assessor para a nona edição:

Daniel Nogueira

 Daniel Nogueira, Conselheiro Médico do Prêmio Roche 2021.

Médico especialista em Medicina Familiar e Comunitária e também comunicador. Atualmente trabalha como Chefe Médico da Junta Departamental de Montevidéu (Uruguai) e médico de família da Associación Española. Jornalista em Buen Día, programa matinal do Canal 4 de Montevidéu e dá assessoria médica e em comunicação em Pulso, empresa de serviço de acompanhantes de saúde.

Colaborou como médico na Administración de Servicios de Salud del Estado (ASSE) e como jornalista nos noticiários estatais, assim como na Red informativa del Interior del País. Foi correspondente da CNN em Espanhol e participou de programas de televisão de saúde.

 

 

A etapa final

Conheceremos mais tarde o grupo de jornalistas que vão avaliar a rodada final dos trabalhos jornalísticos deste ano no Prêmio Roche. Esta equipe vai escolher os três finalistas por categoria e, entre eles, um vencedor para cada uma. Esses vão receber uma bolsa de até 5.000 dólares (menos taxas bancárias) para estudos.

Dentro deste grupo de jornalistas também vão estar os assessores que vão escolher os trabalhos vencedores de menção honrosa em: Acesso à saúde (uma em cada categoria), Jornalismo de soluções e Cobertura jornalística da COVID-19. Os vencedores da oitava edição do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde vão ser anunciados na cerimônia virtual que será realizada em outubro.

Feito com por

Pin It on Pinterest