Pular para o conteúdo

Noticías

Por que se inscrever na categoria Cobertura Diária do Prêmio Roche?

abril 28, 2022
Por que se inscrever na categoria Cobertura Diária do Prêmio Roche?

Os temas de saúde e ciência também tem espaço no trabalho diário em um meio de comunicação. Prova disso são os trabalhos inscritos na categoria Cobertura Diária do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde desde 2020, quando este formato jornalístico foi incluído na premiação.

Inscreva-se agora na décima edição

O Prêmio Roche estabelece anualmente dois formatos para classificar os trabalhos jornalísticos que podem ser inscritos – para este ano temos digital e sonoro -, mas a vantagem da categoria Cobertura Diária é que nela podem ser inscritos trabalhos elaborados em qualquer formato (escrito, audiovisual, digital ou sonoro), desde que tenham sido publicados ou transmitidos em partes.

Isso permite vincular à premiação trabalhos que surgem da conjuntura e desafios cotidianos de um meio de comunicação, mas que possuem o mesmo nível de profundidade, cobertura, explicação e acompanhamento de uma cobertura feita em um trabalho de maior fôlego.

Se você está interessado nesta categoria do Prêmio Roche leve em consideração que as diferentes partes ou entregas do teu trabalho a ser inscrito devem estar focadas em um tema da atualidade e não deve passar de dez partes. Se sua cobertura tem um número maior delas, você pode selecionar as dez mais representativas do todo na sua visão. Além disso, a série deve ter data de início e fim claras, estabelecidas a partir do acompanhamento de um processo ou conjuntura específico.

Conheça mais sobre esta categoria

A voz da vencedora

Sarah Azoubel, ganadora del Premio Roche 2021.
Sarah Azoubel, vencedora do Prêmio Roche 2021.

Nos dois primeiros anos da categoria Cobertura Diária no Prêmio Roche, os trabalhos vencedores foram um reflexo do trabalho cotidiano, da forma em que aparecem diferentes temáticas em um meio de comunicação e como elas são abordadas.

As jornalistas Sarah Azoubel e Beatriz Guimaraes, vencedoras da categoria em 2021, tiveram que adaptar a ideia inicial de sua cobertura jornalística e integrá-la à conjuntura da COVID-19, demonstrando o constante movimento que, segundo Azoubel, caracteriza os temas de ciência e saúde.

“Podemos ter períodos em que estes temas estejam em primeiro plano, como o que vivemos e estamos vivendo durante a pandemia, mas, inclusive quando esses temas não são o centro da atenção, seguem sendo notícia”, afirmou a jornalista de ciência.

Para Azoubel, o dinamismo dos temas de saúde e ciência permite que sua cobertura seja feita “tanto em um cenário global com novas grandes descobertas, novos problemas, aparição de tratamentos, mudanças nas políticas públicas, como também em um cenário muito mais local”, que “sempre deve ser parte da cobertura diária, em todos os níveis”.

Os melhores em Cobertura Diária em 2021

Compartilhamos com você o resultado do julgamento da nona edição do Prêmio Roche em Cobertura Diária, para que você conheça mais sobre esta categoria a partir dos trabalhos inscritos por jornalistas latinoamericanos que chegaram à etapa final da premiação e que, como você, fazem jornalismo de saúde com excelência e rigor.

– Vencedor:Epidemia
Série do podcast 37 Graus, feito em parceria com a Folha de S. Paulo, que começou como o acompanhamento da epidemia do zika vírus, quando o Brasil foi o epicentro da doença seis anos antes, mas que teve alguns “desvios” pela aparição da pandemia da COVID-19. A série foi feita para falar sobre as semelhanças e diferenças entre ambas doenças, as pandemias histórias e a vida antes e depois da pandemia.
Autoras: Sarah Azoubel e Beatriz Guimarães.
Meio: 37 Graus – Folha de S.Paulo.
País: Brasil.

– Finalista:Especial Covid-19
Os autores investigaram e narraram a saúde, as políticas públicas de atendimento à pandemia e a nova realidade marcada pela falta de acesso aos serviços de saúde básicos, uma crise alimentar e um aumento da violência contra as mulheres na Guatemala.
Autores: Alejandra Gutiérrez, Julio Serrano, Lucía Reinoso, Carmen Quintela, Ángel Mazariegos, Melisa Rabanales, José López e Maritza Ponciano.
Meio: Agência Ocote.
País: Guatemala.

– Finalista:Se van a morir a sus casas porque no tenemos camas: la desesperada situación que se vive en la región peruana de Loreto por el covid-19
Este foi um trabalho para antecipar e colocar em evidência o despreparo dos sistemas de saúde na América Latina para enfrentar a pandemia. Os médicos alertaram sobre a chegada do vírus em Iquitos, Leticia e Manaus, colocando em risco as comunidades indígenas.
Autor: Alejandro Millán Valencia.
Meio: BBC Mundo.
País: Colômbia.

Conheça outros trabalhos vencedores e finalistas nesta categoria

Sobre o Prêmio Roche

O Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde é uma iniciativa da Roche América Latina com a Secretaria Técnica da Fundação Gabo, que procura reconhecer a excelência e estimular a cobertura jornalística de qualidade em temas de saúde e ciência na América Latina, integrando olhares sanitário, econômico, político, social, entre outras áreas de investigação do jornalismo.

Para mais informação ou para tirar dúvidas sobre a décima edição do Prêmio Roche, escreva para o email: premioroche@fundaciongabo.org

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Feito com por