Pular para o conteúdo

Noticías

Recursos para identificar fontes de informação em saúde e ciência

julho 21, 2022
Recursos para identificar fontes de informação em saúde e ciência

O interesse do público por ciência e saúde se mantêm, não apenas como consequência da pandemia e da quantidade de informação disponível em um número de plataformas cada vez maior, mas também pelo valor identificado nesses temas, que têm a ver com o bem-estar e a vida das pessoas.

Mas, levando em conta a importância deste tipo de notícias, onde se informam quem informa sobre saúde e ciência?

Consultamos as jornalistas Alice de Souza, finalista do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde em 2014, 2017 e 2021; Juliana Contaifer, integrante da equipe vencedora do Prêmio Roche em 2020, e Sarah Azoubel, vencedora em 2021, sobre suas fontes preferidas para se informar sobre temas de saúde. Compartilhamos aqui suas recomendações para quem está começando no jornalismo de saúde, ou, simplesmente, busca conteúdos novos.

Fontes Internacionais

Úteis para obter dados, informes, análises internacionais e novidades científicas:

1. OMS – Site da Organização Mundial da Saúde (OMS), organização especializada em políticas de prevenção, promoção e intervenção de saúde a nível global.

2. Nature – Revista internacional que publica semanalmente pesquisas revisadas por pares em todos os campos de ciência e tecnologia.

3. Unicef – Site do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), agência da Organização das Nações Unidas que dá ajuda humanitária e desenvolvimento a crianças e mães em países em desenvolvimento.

4. Science – Revista da Associação Estadunidense para o Avanço da Ciência (AAAS, em inglês), que publica pesquisas científicas, artigos de opinião e notícias em geral para melhorar a comunicação entre cientistas, engenheiros e o público em geral.

5. EurekAlert! – Plataforma de notícias, sem fins lucrativos, da Associação Estadunidense para o Avanço da Ciência (AAAS, em inglês) com informação produzida por universidades, journals, centros médicos, agências governamentais, corporações e outras organizações, como recurso para jornalistas e o público.

6. ScienceAlert – Fonte de notícias administrada de forma independente que publica artigos com investigações científicas, descobertas e resultados.

7. The New York Times – Jornal publicado na cidade de Nova York (Estados Unidos), considerado como um dos grandes jornais de referência.

Meios

Dois meios de comunicação recomendados por fazerem um jornalismo de saúde com muito rigor e inovação em formatos e temas.

1. Salud con Lupa – Plataforma digital de jornalismo colaborativo dedicada à saúde pública na América Latina, formada a partir de colaborações entre jornalistas latinoamericanos, meios de comunicação e profissionais de diferentes áreas – técnicos, ilustradores e fotógrafos – interessados em melhorar a qualidade da informação disponível.

2. O Joio e O Trigo – Projeto jornalístico com informação independente, segura e completa sobre a indústria de alimentos ultra processados e seus impactos na saúde e bem estar das pessoas.

3. Short Wave – Podcast em inglês da NPR apresentado por Emily Kwong, que cobre diariamente ciência com criatividade e humor em 10 minutos aproximadamente.

Outras organizações

As jornalistas consultadas para esta publicação são do Brasil. Por isso, incluíram sites brasileiros que publicam investigações ou discussões relacionam saúde e desigualdades em suas recomendações.

1. Associação Brasileira de Saúde Coletiva – Site da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco, em português) com notícias, material multimídia, informação sobre fóruns, comitês, comissões de saúde, links para revistas e outras publicações sobre o tema.

2. Fiocruz – Site da Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, com notícias, análises, agendas de eventos e informação variada sobre temas de saúde pública.

Referencias para seguir

Outro recurso proposto pelas vencedoras e finalista do Prêmio Roche é seguir outros jornalistas de saúde ou ciência, assim como pesquisadores e divulgadores científicos no Twitter, onde é possível encontrar fontes confiáveis e úteis no dia a dia.

Veja aqui uma lista de perfis recomendados:

Luiza Caires (@luizacaires3), trabalha com jornalismo científico no jornal da USP (Universidade de São Paulo), no Twitter, e várias redes sociais.

André Biernath (@andre_biernath), é jornalista de ciência e saúde na BBC Brasil. Ele é mais focado em temas de saúde.

Mellanie Fontes-Dutra (@mellziland), pós-doutora em bioquímica, biomédica e neurocientista é idealizadora da rede Análise Covid-19. Usa gifs e uma linguagem simples para explicar os detalhes dos novos estudos científicos.

Vitor Mori (@vitormori), membro do Observatório Covid-19 BR, o paulistano é físico com mestrado e doutorado em engenharia biomédica pela USP e se especializou em explicar como a população pode se proteger do coronavírus, ensinando sobre máscaras e mostrando novos estudos sobre o assunto.

Átila Iamarino (@oatila), é o mais popular entre os cientistas que estão usando o Twitter como ferramenta direta de comunicação. Átila é microbiologista e divulgador científico. Desde o começo da pandemia, se tornou uma das principais vozes para explicar a pandemia e o que se pode fazer para controlá-la.

Natália Pasternak (@TaschnerNatalia), é microbiologista, presidente do Instituto Questão de Ciência (IQC) e conhecida por comentar, sem papas na língua, vários assuntos de saúde.

Sobre o Prêmio Roche

O Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde é uma iniciativa da Roche América Latina com a Secretaria Técnica da Fundação Gabo, que busca premiar a excelência e estimular a cobertura jornalística de qualidade sobre temas de saúde e ciência na América Latina, integrando os olhares sanitário, econômico, político, social, entre outras áreas de investigação no jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Feito com por