Começa a avaliação dos participantes do Prêmio Roche 2020: Conhece os pré jurados

Jornalistas ibero-americanos avaliarão inscrições para o Prêmio Roche 2020

Um grupo de 11 reconhecidos jornalistas ibero-americanos com grande trajetória na carreira forma o pré jurado encarregado de avaliar e selecionar os melhores trabalhos na primeira fase de seleção da oitava edição do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde, que recebeu 876 inscrições de trabalhos jornalísticos entre 13 de novembro de 2019 e 31 de março de 2020.

Os trabalhos inscritos foram verificados pela Secretaria Técnica do Prêmio, pertencente à Fundação Gabo, que analisou se eles cumpriram com as regras estipuladas pela premiação. Terminada essa etapa, começa o trabalho do comitê de pré-seleção, formado pelos pré-jurados, que vão avaliar cada uma das histórias inscritas e selecionar aquelas que irão passar à última etapa em cada categoria do Prêmio: Jornalismo Sonoro, Jornalismo Digital e Cobertura Diária.

A seguir, mostraremos a vocês o perfil dos 11 pré-jurados responsáveis por escolher os trabalhos que chegarão à final do Prêmio Roche 2020. Os jurados levarão em conta em suas avaliações a qualidade narrativa, a contextualização e o domínio técnico do tema, o enfoque social, a apuração, a ética profissional e a diversidade geográfica. O objetivo é encontrar trabalhos de excelência na cobertura de temas de saúde na América Latina.

Mónica González Islas

Fotógrafa e documentarista, mora na Cidade do México. Especialista em edição, produção e visualização em multimídia em documentários, vídeo, ilustração, animação e fotografia.

Participou e coordenou os projetos Geografiía del Dolor, Buscadores en un país de desaparecidos (vencedor do Prêmio Gabo 2017 na categoria Imagem), El país de las dos mil fosas (vencedor do Prêmio Gabo 2019 na categoria Cobertura) e Mujeres en la vitrina, migración en manos de la trata zonadivas.info (vencedor do Prêmio Gabo 2019 na categoria Inovação). Atualmente faz parte da equipe do jornal El País México.

Carlos Salinas Maldonado

Jornalista da Nicarágua em exílio, mora na Cidade do México. Escreve para o jornal El País da Espanha desde 2008.

Escolhido em 2012 como um dos novos Cronistas de Índias pela Fundação Gabriel García Márquez. Foi indicado do prêmio de jornalismo da FNPI em 2008 por Los olvidados del Casita e vencedor do Prêmio à Excelência de Jornalismo da Sociedad Interamericana de Prensa, por El ocaso de Bosawas.

Suas reportagens foram publicadas nas antologias Lo mejor del periodismo de América Latina II (FNPI/Fondo de Cultura Económica), ¡Atención! Die besten Reportagen aus Lateinamerika (Czernin) e Global Muckraking: 100 Years of Investigative Journalism from Around the World (The New Press).

Nathalia Passarinho

Vencedora do Prêmio Roche 2019 na categoria Jornalismo Escrito com o trabalho “Exclusivo: Por dentro de uma ´clínica secreta´ de aborto no WhatsApp”.

Formada em comunicação social pelo Centro Universitário de Brasília (2005-2009) e mestra em Estudos Latinoamericanos pela Universidade de Oxford (2016 – 2017), no Reino Unido. Trabalha como repórter da BBC News Brasil desde setembro de 2017, onde escreve sobre política, economia e saúde, além de participar ao vivo de programas de televisão e rádio da BBC World Service para discutir temas relativos ao Brasil. Foi repórter de política no G1 – o portal de notícias da TV Globo, em Brasília – onde trabalhou na cobertura do Executivo, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal de Justiça.

Em seus 10 anos como jornalista, participou de coberturas nacionais e internacionais, como as eleições presidenciais, o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, a Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York, reuniões do Mercosul e G-20 em distintos países.

Charlotte de Beauvoir

Jornalista francesa, radicada na Colômbia desde 2006. É professora associada no Centro de Estudos em Jornalismo da Universidad de los Andes, em Bogotá (Colômbia).

Realizadora sonora e jornalista freelance para meios na França e nos Estados Unidos. Duas vezes vencedora do Prêmio Nacional de Jornalismo Simón Bolívar e do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde em 2018.

Mariana Alvim

É jornalista na BBC News Brasil em São Paulo, onde cobre temas de saúde, ciência e sociedade. Em 2018 recebeu menção honrosa no Prêmio Roche para Jornalismo em Saúde com o trabalho publicado na BBC “Luta pela vida, reforço da desigualdade ou gasto desenfreado? A difícil equação da judicialização da saúde”. Antes disso, foi repórter do jornal O Globo e do portal Viva Favela, no Rio de Janeiro.

Também tem mestrado em sociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Iván Maestre Vera

Jornalista equatoriano que trabalhou em meios de comunicação há 20 anos. Criador de vários programas televisivos, escreveu para meios impressos em seu país e colaborou com meios internacionais.

Dirigiu documentários e foi produtor cinematográfico até 2013. Em 2014 iniciou trabalhos na Ecuavisa, o canal de televisão mais importante do Equador, produzindo e dirigindo Visión 360, programa jornalístico de investigação em profundidade que já tem 7 temporadas no ar.

Juan Camilo Chaves

É biólogo, mestre em arte e em jornalismo pela Universidad de los Andes da Colômbia. Atualmente é jornalista independente e professor universitário.

Suas histórias foram publicadas em meios como RFI em espanhol, Radio Ambulante, Arcadia, Cerosetenta, La Silla Vacía e Soundtruck.

Foi docente na Universidad de los Andes da Colômbia e atualmente é professor assistente na Faculdade de Humanidades e Ciências Sociais da Universidade EAN na Colômbia. Vencedor do Prêmio Simón Bolívar (2017), na categoria rádio investigação e do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde 2018, na categoria Rádio.

Renata Cabrales Rojas

É jornalista e mestra em jornalismo digital. Trabalhou mais de 16 anos em meios colombianos como El País, El Tiempo, El Heraldo e Expansión, na Espanha. Há 4 anos e meio trabalha no setor público: foi diretora de conteúdos digitais na Presidência da República da Colômbia durante o acordo de paz entre o governo e as Farc, e atualmente é líder da equipe do portal Bogota.gov.co, site oficial da prefeitura da capital colombiana vencedor dos prêmios Standard of Excellence do Web Awards, categoria Governo, e Ouro do dotCOMM, como o melhor site governamental da América Latina. Também é coordenadora de projetos no Centro Gabo, uma iniciativa da Fundação Gabo.

É bolsista de instituições como International Center for Journalism, a Fundação Gabo, Poynter Institute, Fojo Institute, Knight Center, entre outras. Membro do Conselho da Redação e da Assembleia Geral da Fundação para a Liberdade de Imprensa (FLIP). Vencedora na equipe dos prêmios de jornalismo Rey de España, SIP, GDA e Alfonso Bonilla Aragón.

Ana Ormaechea

É jornalista e empreendedora, formada pela Universidade de Navarra (Espanha) com uma bolsa da Science Technology and Society na Universidade de Stanford e uma bolsa na Tow-Knight fen CUYNY (Nova York). Atualmente é diretora de produto digital da Rádio Prisa, onde gestiona os produtos digitais na Espanha e na América Latina de marcas como Cadena SER, LOS40, Caracol, WRadio.

Antes foi co-fundadora de duas start-ups: Cuonda e Tablet Army. Também foi social de Prodigioso Volcán, uma consultoria enfocada em estratégias de comunicação, onde liderou projetos de transformação digital para clientes como El País, Diário de Cuba ou El Universal (México).

É professora de empreendimento jornalístico na Universidade San Pablo CEU (Madri) e dirige o capítulo espanhol, de Hacks & Hackers, em Madri.

Margarita Barrero

Jornalista formada pela Universidad de la Sabana na Colômbia. Motivada por ajudar seu país, foi diretora da estratégia digital da presidência e liderou a campanha das redes sociais do Acordo de Paz durante o ano de 2016 (ano do plebiscito na Colômbia). Reconhece que a base de toda sua experiencia está na reportagem. Foi macro-editora digital do jornal El Colombiano e editora geral de novos meios de todas as marcas de Publicações Semana e da revista Axxis, da Edições Gamma.

Sua principal escola foi o trabalho de muitos anos em diferentes seções da redação do jornal El Tiempo. Além disso, foi produtora e pesquisadora para crónicas de reality shows na Caracol TV.

Sua carreira começou como redatora na revista Shock, de El Espectador. Estudou jornalismo digital na Universidade Javeriana, escritura criativa na Universidade Central e investigação na Knight Center of Journalism in The Americas. Atualmente é editora geral multimídia de El Colombiano.

Marta del Vado

Correspondente em Washington da Cadena SER, da Espanha. Desde 2006 fez coberturas internacionais. Reportou na Colômbia, Nicarágua, Cuba, Balcãs, Líbano, Palestina e Saara Ocidental, entre outros.

Foi correspondente em Genebra. Entre 2013 de 2015 fez parte da equipe humanitária da Oxfam na América Latina e Caribe, baseada na Cidade do México.

Em 2009 ganhou o Prêmio Novo Jornalismo Cemex-FNPI na categoria Rádio. Participou de workshops da Fundação Gabo e foi pré-jurada do Prêmio Gabo.

A rodada final

As histórias selecionadas por este grupo de jornalistas serão dadas a um jurado que as avaliará e escolherá 3 finalistas por categoria e, entre elas, uma vencedora por categoria. O processo será acompanhado por um assessor médico encarregado de velar pela precisão científica dos conteúdos dos trabalhos jornalísticos inscritos.

Os avaliadores também vão selecionar os merecedores das menções honrosas do certame neste ano: três para o tema de acesso à saúde, uma para a melhor história com enfoque de soluções e outra para cobertura da COVID-19.

Os vencedores da oitava edição do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde serão anunciados em outubro durante o Roche Press Day, um fórum anual de jornalismo científico e de saúde.

Feito com por

Pin It on Pinterest