‘Tiempos de malaria en Venezuela’ ganha menção honrosa em jornalismo de soluções no Prêmio Roche 2020

'Tiempos de malaria en Venezuela',  trabalho com menção honrosa em jornalismo de soluções Prêmio Roche 2020.

O jornalismo de soluções fez sua aparição no Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde nesta oitava edição com um menção honrosa que pretende destacar o trabalho que melhor investiga, narra e explica com profundidade as respostas que instituições, comunidades e pessoas estão desenvolvendo ante os desafios, problema e brechas da saúde na América Latina.

‘Tiempos de malaria en Venezuela’ é a publicação vencedora desta primeira menção honrosa em jornalismo de soluções, de autoria de Valentina Oropeza Colmenares, John Fuentes, Roberto Mata, Rodrigo Marcano, David Dittmar, Helena Carpio, María Paola Sánchez, Indira Rojas, Luisa Salomón, Ricardo Barbar, Salvador Benasayag, Ángel Alayón, Francis Peña, Giorgio Cunto, Gustavo Sucre, Lucas García, Oscar Marcano e Yorman Guerrero, para Prodavinci, da Venezuela.

Veja o trabalho.

Segundo o jurado desta menção honrosa, a equipe jornalística usou documentos, entrevistas e dados para apresentar a malária com um novo olhar aborda o conceito de soluções em diferentes níveis. Por um lado, apresenta uma solução para a doença descrevendo como Venezuela a superou, e por outro é também uma solução para a sociedade, porque oferece informação sobre tratamentos, experiências e orientações médicas de uma maneira muito acessível e documentada.

O trabalho também oferece uma solução ao jornalismo da América Latina ao mostrar como é possível, com criatividade, agregar valor a uma informação já existente e ressignificá-la com novos dados e uma apresentação adequada.

Adriana Amado, divulgadora de comunicação pública e jornalismo em meios da Argentina, doutora em Ciências Sociais pela FLACSO e investigadora na rede mundial de estudos de jornalismo Worlds of Journalism, foi assessora encarregada da seleção deste trabalho jornalístico.

Sobre os autores

Valentina Oropeza Colmenares: Jornalista. Fundou e dirigiu a Unidade de Investigação de Prodavinci. Escreveu para meios e agências internacionais de notícias. Fellow no programa da World Press Institute da Universidad de Saint Paul (Estados Unidos) e mestra em Relações Internacionais pelo Instituto Barcelona de Estudos Internacionais na Espanha, com especialização em Jornalismo e Desenvolvimento pelo Indian Institute of Mass Communication em Nova Delhi.

John Fuentes: Designer gráfico e chefe de design da Prodavinci. Graduado pela Escola de Artes Visuais Cristóval Rojas em Caracas, com quase 20 anos de experiência em meios impressos e digitais. Participante do Encontro Mundial de Imprensa. Recebeu treinamentos de infografia com Juan Velasco e Fernando Batista (National Geographic) e Germán Pizarro (Diario Marca).

Roberto Mata: Fotógrafo e diretor de fotografia na Prodavinci. Começou sua experiência profissional nos anos 80 no jornal El Nacional (Pandora, Feriado, Papel Literario). Em 1993 abriu uma escola de fotografia que leva seu nome, onde já se formaram mais de 4 mil estudantes. É fotógrafo corporativo e editorial, colabora com meios impressos como as revistas Gatopardo, Complot, Estampas, +Salud e Mono.

Rodrigo Marcano: Estudante de Letras na Universidad Central de Venezuela com interesse pela literatura clássica. Estuda grego antigo, latim e planeja continuar sua carreira com um mestrado em clássicos. Atualmente trabalha na redação de Prodavinci como agregador de conteúdo.

David Dittmar: Fotógrafo documentarista. Tem experiencia na documentação de jornadas de saúde em zonas rurais da Venezuela, com apoio a diversas ONGs e grupos estudantis. Vencedor do Festival Ascenso Gente e Cultura e do prêmio de Melhor Fotografia do festival. Vencedor do prêmio San Juan de Dios em fotografia humanitária em 2017.

Helena Carpio: Jornalista multimídia e chefe de inovação da Prodavinci. Graduada em Relações Internacionais pela Universidade de Boston, com foco em economia, desenvolvimento e jornalismo. Fotógrafa, com publicações em meios internacionais como Washington Post (Estados Unidos), Rolling Stones (México), Clarín (Colômbia) e El País (Espanha).

María Paola Sánchez: Estudante de Comunicação Social na Universidad Católica Andrés Bello, com especialização em jornalismo e roteiro. Desde setembro de 2019 trabalha na Unidade de Investigação da Prodavinci, onde apoia a equipe jornalística em trabalhos de investigação, coleta e checagem de dados.

Indira Rojas: Jornalista de investigação na Prodavinci. Especializada em políticas públicas e perspectivas de gênero, e direitos da infância na Venezuela. Trabalhou em meios impressos e digitais. Participou na reportagem multimídia “Vivir sin agua”, vencedora do IX Concurso Nacional de Reportajes de Investigación Periodística del Instituto de Prensa y Sociedad (2019).

Luisa Salomón: Jornalista da equipe Prodavinci. Trabalhou no jornal El Nuevo País, na revista Zeta e no portal Contrapunto.com, como repórter de política. Vencedora do Prêmio à Excelência Jornalística 2019, menção a crônica, da Sociedade Interamericana de Imprensa.

Ricardo Barbar: Jornalista da Prodavinci. Graduado na UCV. Especialista em saúde pública. Participou na reportagem multimídia “Vivir sin agua”, vencedora do IX Concurso Nacional de Reportajes de Investigación Periodística del Instituto de Prensa y Sociedad (2019).

Salvador Benasayag: Jornalista da Prodavinci. Participou na reportagem multimídia “Vivir sin agua”, vencedora do IX Concurso Nacional de Reportajes de Investigación Periodística del Instituto de Prensa y Sociedad (2019) do Premio Monseñor Pellín de la Conferencia Episcopal Venezuelana. Seu trabalho é enfocado em estratégias em redes sociais, jornalismo de dados e visualização interativa.

Ángel Alayón: Fundador e diretor da Prodavinci. Economista com mestrado em Políticas Públicas pela Universidade de Chicago. Professor do IESA, uma escola de políticas públicas e negócios da Venezuela.

Francis Peña: Jornalista com três anos de experiência na Venezuela e como correspondente de uma rádio nos Estados Unidos. Bolsista Chevening pelo Escritório de Assuntos Exteriores e da Commonwealth do Reino Unido, que lhe possibilitou fazer um mestrado em jornalismo multimídia em Londres.

Giorgio Cunto: Economista e cientista de dados com quatro anos de experiência em análise macroeconômica, programação estatística e visualização de dados. Trabalha como economista na equipe de investigação da consultora Ecoanalítica e é professor de Estatística na Escola de Economia da UCAB. Até dezembro de 2018 foi chefe de análise de dados na Prodavinci. Atualmente colabora para o meio como analista econômico e consultor eterno de análise de dados.

Gustavo Sucre: Comunicador social pela Universidade Monteávila. Foi assistente de investigação na Prodavinci e agora trabalha em uma companhia de páginas web nos Estados Unidos. Também escreve como freelancer em Medium.com.

Lucas García: Ilustrador, narrador e comunicador visual. Em 1999 publicou “Rocanrol”, romance vencedor dos prêmios Reservoir Book (editora Grijalbo) e Francisco Herrera Luque (Random House Mondadori). Realiza diversos trabalhos de identidade visual e colabora como humorista gráfico na revista Primicia e no Diario 2001. Em 2009 a editora Puntocero editou a compilação de contos “Payback” e depois sua segunda novela, “La más fiera de las bestias”. Em 2013, publica o romance “Acabose” (Editora Sudaquia Editores) e incursiona na literatura infantil com a ilustração de “Cuentos a patadas” (2014) de José Urriola e com “Superhéroe” (2016), do qual é autor e ilustrador, ambos pela editora Ekaré.

Oscar Marcano: Tem alternado entre literatura e a comunicação em crise e o jornalismo. Uniu-se ao projeto de Prodavinci em 2010, do qual é editor-chefe- No mundo literário, recebeu diferentes reconhecimentos, entre os quais se destaca o Prêmio Internacional Jorge Luís Borges, da Argentina, em 1999. Dita seminários e workshops de estrutura narrativa de ficção e não ficção.

Yorman Guerrero: Jornalista venezuelano com cinco anos de experiência em meios de comunicação digitais, enfocado em jornalismo investigativo, especialmente em temas ligados a políticas públicas, saúde e direitos humanos. Foi repórter da Unidade de Investigação de Prodavinci. Membro das equipes vencedoras do Concurso Nacional de Periodismo de Investigación del Instituto de Prensa y Sociedad (IPYS) em 2016 pela série “Misión Vivienda: testimonios, cifras y desafío” (Contrapunto.com) e em 2019 pelo especial “Vivir sin agua” (Prodavinci). Atualmente é chefe de comunicações externas da Coca-Cola FEMSA da Venezuela.

Sobre o Prêmio Roche

O Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde é uma iniciativa da Roche América Latina e da Secretaria Técnica da Fundação Gabo, que busca reconhecer a excelência e fomentar o trabalho jornalístico de qualidade na cobertura de temas de saúde na América Latina.

Feito com por

Pin It on Pinterest