Pular para o conteúdo

Pedra no caminho

Câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres em todo o mundo. No Brasil, foram 57 mil novos casos em 2014. Por aqui, além de ser o mais comum, é também o que mais mata mulheres. Apesar da alta mortalidade, é uma doença curável se tratada no início. No entanto, na maioria dos casos, o diagnóstico é tardio. Esse é um reflexo dos problemas no sistema de saúde público do Brasil, único meio de acesso à saúde de 70% dos brasileiros. Na série “Pedra no Caminho” acompanhamos por seis meses a rotina de mulheres com câncer de mama em tratamento em hospitais públicos de São Paulo para tentar entender porque uma doença tão curável mata tanto. O resultado foram sete episódios exibidos semanalmente no programa Fantástico, da Rede Globo, em maio e junho de 2014.

Autores

Luciana Osório

Brasil

Luciana Osório

Luciana Osório é jornalista. Formou-se na Universidade Federal de Santa Catarina. Ainda quando estava na faculdade, realizou pesquisas na área da TV digital. Iniciou sua carreira na televisão como estagiária na sede da Rede Globo, no Rio de Janeiro. Em 2005 começou a trabalhar no programa Fantástico como produtora de reportagens, cargo que ocupa atualmente. Entre 2005 e 2014 trabalhou em séries especiais sobre ciência e saúde, apresentadas pelo Dr. Drauzio Varella. Em 2010 recebeu o prêmio Direitos Humanos de Jornalismo do Movimento da Justiça e Direitos Humanos da Escola de Advogados do Brasil, por sua autoria na reportagem Órfãos da hanseníase.

Drauzio Varella

Brasil

Drauzio Varella

Drauzio Varella é médico cancerologista formado pela USP. Nasceu em São Paulo, em 1943.

Durante 20 anos dirigiu o serviço de Imunologia do Hospital do Câncer (SP) e, de 1990 a 1992, o serviço de Câncer no Hospital do Ipiranga, na época pertencente ao INAMPS.

Deu aulas em diversas faculdades do Brasil e em instituições do exterior, como o Memorial Hospital de Nova Iorque, a Cleveland Clinic (EUA), o Instituto Karolinska de Estocolmo, a Universidade de Hiroshima, e o Instituto Nacional do Câncer de Tóquio.

Foi um dos pioneiros no Brasil no tratamento da Aids, em particular do sarcoma de Kaposi, tendo participado de conferencias internacionais e visitado serviços especializados no tratamento e prevenção dessa doença.

Na Rede Globo participou nas séries sobre saúde apresentadas no programa dominical Fantástico.

Em 1989, iniciou um trabalho de pesquisa sobre a prevalência do vírus HIV na população carcerária da Casa de Detenção do Carandiru. Desse ano, até a desativação do presídio, em setembro de 2002, trabalhou como médico voluntário.

Colunista do jornal Folha de S.Paulo e da revista Carta Capital, escreve sobre o cuidado à saúde, a prevenção de doenças e a qualidade de vida.

Concebeu e atualmente dirige o site www.drauziovarella.com.br, destinado à divulgação, entre o público leigo, de informação e orientação médica em uma linguagem simples e prática.

Brasil

Wellington Almeida

Wellington Almeida, 38 anos, 18 anos de experiência em temas audiovisuais. Tem formação em Música, Rádio e TV, Fotografia, Publicidade e Propaganda e hoje cursa Jornalismo.

Atualmente é repórter cinematográfico no Fantástico, da Rede Globo, em São Paulo.

Flavio Lordello

Brasil

Flavio Lordello

Carioca nascido na Lapa em 1976. Iniciou-se no mundo do audiovisual em 1997, aos 21 anos. Começou sua carreira como editor na extinta J.B. Tanko Filmes. Durante 18 anos realizou trabalhos como montador e finalizador de efeitos em diversas produtoras e emissoras do Rio e de São Paulo. Em 2011 começou a dirigir seus próprios documentários e atualmente é editor do programa Fantástico, da TV Globo, transmitido todos os domingos.

Amanda Prada

Brasil

Amanda Prada

É jornalista, mestra em Relações Internacionais. Trabalha na área das comunicações desde 1997. Formou-se em Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero em 2002. Em 1997 começou a trabalhar em uma produtora de televisão chamada SCTV Produções, que realizava programas diários e semanais para a TV Gazeta e CNT. Em 2002, seu último ano na faculdade, participou no processo de seleção do programa Estagiar da TV Globo, onde foi estagiária e, no ano seguinte, foi promovida a produtora de Internet. Com isso, os conteúdos do Jornal da Globo e do SPTV 1ª Edição ficaram sob sua responsabilidade.

 

Nesse mesmo ano foi ser repórter da agencia de notícias Agencia Interior, que produzia artigos para jornais como a Gazeta Mercantil, sites de notícias como o UOL e outras agencias como a Reuters. Entre setembro de 2005 e janeiro de 2008 fez um mestrado em Ciências Políticas com ênfase em Relações Internacionais na Universidade de Sorbonne, em Paris, na França. Desde 2009 forma parte da equipe de produtores de reportagens do programa Fantástico da TV Globo. Nos últimos anos produziu ao redor de 20 séries e programas sobre saúde, comportamento, justiça, economia, e outros temas.

Marconi Matos

Brasil

Marconi Matos

Repórter cinematográfico com mais de 20 anos de experiência. Começou a carreira na TV Globo São Paulo, como produtor do Fantástico. Também formou parte, na mesma emissora, da equipe dos programas Globo Repórter e Jornal Nacional. Conquistou vários prêmios, entre eles o Ayrton Senna de Jornalismo em 2004 e o Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos em 2014.

Feito com por