Selecionados os finalistas do Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde na categoria Televisão e Vídeo

 

O Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde, organizado pela Roche da América Latina em parceria com a Secretaria Técnica da Fundação Gabriel García Márquez para o Novo Jornalismo Ibero-americano (FNPI), têm o prazer de anunciar os três finalistas da categoria Televisão e vídeo, da primeira edição do Premio. O vencedor será divulgado no dia 4 de julho de 2013 em Santiago do Chile, durante o evento Roche Press Day que será realizado nos dias 3, 4 e 5 de julho.

Nesta categoria, foi recebido um total de 40 trabalhos, de 10 países da América Latina. Todas as produções foram revisadas por um grupo técnico, após o qual aquelas que atendiam aos requisitos do Prêmio foram submetidas à primeira etapa do julgamento. Esta ficou aos cuidados das pré-juradas Carolina Nogueira, editora do canal público TV Câmara, do Brasil, e Valéria Perasso,  correspondente de assuntos hispânicos da BBC Mundo. A equipe foi assessorada pela médica Esther Samper, formada em Biotecnologia, divulgadora científica e blogueira do jornal espanhol El País.

Nesta primeira fase de avaliação foram seleccionados 12 trabalhos que totalizaram a coletânea oficial e os quais foram disponibilizados ao juri da rodada final. Este foi constituído por Adelaida Trujillo, diretora executiva da Iniciativa de Comunicação para a América Latina, Darío Fernando Patiño, assessor de notícias da ECUAVISA, e a assessora médica Esther Samper.

Nesta categoria, o juri indicou:

Bianca Vasconcellos, por “A vida por um fio”, do Brasil, reportagem emitida na TV Brasil.

Conceito do juri: É um tema interessante e atual, com um cuidadoso enfoque humanístico, ético, cultural e médico. A matéria é um bom exemplo de reportagem documental pela diversidade de fontes, o trabalho de campo e o tratamento paliativo. Aborda um tema de política pública, sem cair na propaganda institucional.

Clique aqui para ver o trabalho em português.

Luis Pavón, por “Con los brazos abiertos”, do México, transmitido pela Televisa.

Conceito do juri: A técnica e o estilo são simples, fluidos e apropriados ao gênero reportagem. É um trabalho que não cai no sensacionalismo que costuma ser característico do horário nobre. Ilustra, de forma simples, a complexidade de uma operação e não idealiza a intervenção cirúrgica, refletindo suas limitações. Faz um seguimento humano da evolução do paciente em que pequenos movimentos das mãos representam grandes conquistas.

Clique aqui para ver o trabalho em espanhol.

Federico Uribe, por “Valiente Valentina”, da Colômbia, transmitido pela Telemedellín.

Conceito do juri: A narração é muito bem feita e aproveita ao máximo a inteligência e maturidade da protagonista. O trabalho de câmera e a edição são excelentes. Tem o valor adicional de chegar ao fim da história que, apesar de ser triste, é o que dá mais força ao trabalho.
Clique aqui para ver o trabalho em espanhol.

Além disso, o juri atribuíu menções honrosas  ao argentino Juan Mascardi, por “Tiburones en el Paraná”, transmitido pelo canal Encuentro; ao brasileiro José Floriano Pereira Lima Filho, por Câncer: avanços e desafios”, transmitido pela TV Brasil; e à colombiana Natalia Acevedo, por “Combatientes”, transmitido pelo canal Teleantioquia.

Sobre o Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde

O Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde procura reconhecer a excelência e estimular a cobertura jornalística de qualidade sobre temas de saúde na América Latina. A primeira edição foi lançada no dia 15 de janeiro de 2013. Durante três meses, as inscrições ficaram abertas para que jornalistas da América Latina que publicaram ou emitiram trabalhos sobre temas de saúde em 2012 pudessem inscrevê-los no concurso.

Na sua segunda edição em 2014, o prêmio lançará a categoria Internet e Rádio. Para mais informações escreva para premioroche@fnpi.org

Feito com por

Pin It on Pinterest